A previdência privada da Porto Seguro é uma categoria de aposentadoria que não tem vínculo com o sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Pode ser considerada, de modo geral, uma complementação à previdência pública social.

A previdência privada é baseada em economizar pequenos valores periódicos, que, somados, irão proporcionar um futuro mais tranquilo. É um investimento facultativo e, atualmente, é uma alternativa muito procurada pelos brasileiros que querem garantir uma complementação na renda futura.

Economizar hoje e contribuir com a previdência privada da Porto Seguro é uma forma inteligente de investir no futuro financeiro.

Quais os principais riscos da previdência privada?

Para muitas pessoas, a previdência privada é uma ótima forma de garantir um futuro mais tranquilo. Mas, ao firmar um plano de previdência, o contribuinte também assume dois riscos principais.

Risco de falecimento precoce

Quem faz um plano de previdência privada espera desfrutar do dinheiro acumulado ao se aposentar. Só que também é preciso levar em conta a possibilidade de morte ou invalidez.

Um plano de previdência privada é dividido em duas fases: contribuição e pagamento do benefício.

Na fase de contribuição, os recursos são remunerados de acordo com as regras assinadas. Se ocorrer o óbito do contribuinte, o saldo acumulado – com os impostos descontados – ficará à disposição dos beneficiários legais. Em caso de invalidez, o próprio contribuinte poderá receber a quantia.

Já se a morte acontecer durante o pagamento do benefício, o dinheiro pode ter dois destinos. Se o contribuinte optou pela modalidade chamada Renda Vitalícia, o dinheiro depositado passa a fazer parte da reserva técnica da seguradora, não sendo um direito dos dependentes.

Como o benefício é calculado sobre a expectativa de vida, ao morrer mais cedo, o contribuinte acaba financiando os que têm uma vida mais longa.

Agora, se o contribuinte escolheu a modalidade de Renda por Período Determinado, os beneficiários podem receber o valor até que terminem os anos de contrato. Há, também, a possibilidade de sacar o dinheiro de uma só vez.

Risco de a seguradora falir

Antes de assinar um plano de previdência, é extremamente importante analisar o potencial que a seguradora tem de resistir a diferentes problemas financeiros.

O contribuinte deve lembrar que o dinheiro será aplicado em longo prazo. Portanto, se houver qualquer problema com a seguradora, ele poderá ficar no prejuízo ou, em outra hipótese, aguardar por uma decisão judicial.

Caso o contribuinte tenha assinado um plano de previdência, mas se sente inseguro em relação à seguradora, também é possível – depois de passado um período do acordo firmado – fazer a transferência do patrimônio para outra instituição, desde que se mantenha a mesma categoria de plano.

Os tipos de previdência

A previdência privada pode ser feita em plano fechado ou plano aberto. O primeiro tipo é oferecido por diferentes empresas, enquanto que o segundo é aquele oferecido pelos bancos e outras instituições, e que fica vinculado a uma conta corrente.

A diferença entre a previdência privada oferecida pelos bancos e a oferecida por outras instituições está relacionada à forma como o pagamento ao imposto de renda (IR), que incide sobre a aplicação, é feito. Com base nisso, é possível dividir a previdência privada nos seguintes planos:

PGBL

O Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) é o plano no qual as contribuições ao imposto de renda são deduzidas da base de cálculo. Em outras palavras, o contribuinte não irá pagar o imposto de renda imediatamente.

O IR será pago somente quando o contribuinte fizer o resgate e, nesse caso, incidirá sobre todo o montante acumulado ao longo dos anos. Quanto maior for o tempo de investimento, menor será o valor pago.

VGBL

O plano Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL) é o seguro de vida que visa à sobrevivência do contribuinte. De maneira geral, o VGBL é menos um plano previdenciário e mais um seguro de vida para a pessoa.

Nesse plano, o contribuinte não conseguirá descontar o valor do imposto de renda durante a acumulação. Em compensação, na hora do resgate, o imposto de renda incidirá somente sobre o rendimento e não sobre o valor total.

Quais as taxas cobradas?

É importante saber quais são as taxas cobradas durante o processo de previdência privada. Afinal, essas taxas podem diminuir sensivelmente o rendimento do investimento.

Taxa de carregamento

A taxa de carregamento é cobrada em cada contribuição feita, ou seja, toda vez que uma quantia é depositada, aparece essa cobrança. Essa taxa pode variar de 0% até 5%.

O valor cobrado pela taxa de carregamento só é feito sobre o valor investido e não deve ser cobrado sobre o rendimento.

Taxa de administração

É a taxa anual cobrada sobre o valor total acumulado no fundo. Em outras palavras, é uma porcentagem do investimento somado ao rendimento. Essa taxa varia de 0,5% a 4% ao ano.

Taxa de saída

É a taxa cobrada no resgate das aplicações. A taxa de saída é, geralmente, de 0,38% em relação ao valor total acumulado (novamente, é uma porcentagem do investimento somado ao rendimento). Algumas instituições isentam o segurado do pagamento dessa taxa ou exigem o pagamento somente se ocorrer a retirada precoce do valor acumulado.

As vantagens da previdência Porto Seguro

Previdência privada da Porto Seguro dispõe de planos com coberturas adicionais de toda a família

A Porto Seguro ajuda a definir os valores ideais para que o investimento atual se transforme em uma renda definitiva para o futuro. Poupando agora, será possível realizar muitos projetos que ainda virão.

Entre as principais vantagens em fazer uma previdência privada na Porto Seguro, estão:

  • Não há custo ao transferir o plano de outra instituição para a Porto Seguro.
  • É possível diversificar os investimentos (você pode investir em diferentes fundos).
  • Há a possibilidade de coberturas adicionais englobando toda a família.
  • A previdência privada da Porto Seguro é uma poupança para o futuro.
  • Há isenção do imposto chamado come-cotas. Você fica livre do adiantamento do imposto de renda que deveria ser pago semestralmente sobre o investimento.
  • No caso de o PGBL ser o plano escolhido, há um incentivo fiscal.
  • É um planejamento para a sucessão familiar. Isso porque a reserva não entra no inventário, é possível escolher o que cada beneficiário irá receber, além de haver diminuição dos custos com advogados e despesas judiciais.
  • Existem várias opções para receber a renda, da forma que for melhor para cada contribuinte.
  • Na previdência privada da Porto Seguro não há taxa de carregamento, geralmente cobrada quando há algum depósito no plano.

Para obter mais informações e tirar todas as dúvidas a respeito da previdência privada da Porto Seguro, acesse o link http://www.portoseguro.com.br/solucoes-financeiras/previdencia. No site, estão consultores indicados para oferecer os melhores planos previdenciários individuais e familiares.

Lembre-se de que a previdência privada é um investimento em longo prazo. Por isso, é essencial contar com profissionais capacitados para ajudar a investir o dinheiro de forma segura.

Fazer uma previdência privada está nos seus planos? Não deixe de compartilhar as suas dúvidas e experiências nos comentários.