Essa Informação vale ouro, e poucos sabem:

Servidor Público pode fazer Previdência Privada e pagar menos IR?

A maioria acha que como já contribui para o fundo da instituição que trabalha, não pode contribuir para um fundo de previdência privada ou não teria nenhum benefício contribuindo.

Com o crescente sucateamento dos governos, algumas grandes questões emergem para o Servidor Público:

Como vai estar sua aposentadoria daqui a 10, 15, 20 anos?

É possível confiar nos fundos de pensão de órgãos e empresas públicas?

Não é arriscado demais esses fundos serem a principal fonte de renda na  aposentadoria?

Poderia o servidor público fazer previdência privada e pagar menos IR?

A resposta é sim 

Servidor público pode fazer a previdência privada (PGBL) e pagar menos IR, e obter mais 12% de redução na renda tributada, podendo chegar a 24% de redução somando a previdência pública e a privada.

Veja o exemplo abaixo da Receita Federal:

Afonso recebeu um total de rendimentos tributáveis de R$ 100.000,00 e o ente público patrocinador efetuou
contribuição para a entidade fechada de previdência complementar de natureza pública no valor de
R$ 8.000,00.
O contribuinte Afonso efetuou as seguintes contribuições:
– para entidades de previdência complementar: R$ 7.000,00;
– para o Fapi: R$ 3.000,00;
– para a entidade fechada de previdência complementar de natureza pública: R$ 8.000,00
Como a contribuição do patrocinador foi igual à do contribuinte, toda a parcela de contribuição efetuada pelo
contribuinte à previdência complementar (R$ 8.000,00) é dedutível.
As demais contribuições somaram R$ 10.000,00 (R$ 7.000,00 + R$ 3.000,00), não atingindo o limite de 12%
e, portanto, são integralmente dedutíveis.
O contribuinte pode deduzir, portanto, o valor de R$ 18.000,00 (R$ 8.000,00 + R$ 7.000,00 + R$ 3.000,00).

No exemplo acima,  Afonso deduziu 18% da sua renda bruta anual, mas poderia chegar a 24% utilizando o valor máximo do benefício.

Isso representaria pagar menos R$6.600,00 de Imposto de renda no ano. Se ele reaplicasse esse valor, nas taxas de juros corrente, teria, em 20 anos, mais de R$500 mil a mais para a aposentadoria, só com o uso do benefício fiscal, que está disponível, mas pouca gente usa.

Mas se quiser ter esse benefício ainda neste ano, terá que correr pois o ano fiscal está acabando!!